Prevenção de Incêndio

O fogo, que ao longo da história, tem trazido grande desenvolvimento para a humanidade através da geração de energia, quando fora do controle assume a sua natureza destruidora trazendo perdas humanas e do patrimônio.

 

A prevenção juntamente com o desenvolvimento das Normas de Segurança (cujo cumprimento é exigido no projeto das edificações), têm sido, sem dúvida, as maiores ferramentas para se evitar grandes tragédias. Assim cada pessoa conscientizada pode contribuir para a sua própria segurança e também dos ocupantes do ambiente ao qual faz parte.

 

Podemos destacar como atitudes prevencionistas:
1) Proibir o fumo em locais onde existam quantidades significativas de materiais combustíveis;
2) Evitar o armazenamento de materiais, sem a devida ordem e limpeza;
3) Utilizar como Norma a desenergização, ao final do expediente, de todos os equipamentos elétricos utilizados no setor;
4) Proibir a utilização de derivação tipo “T” e “extensões ” elétricas, que são condenadas pelas normas técnicas e historicamente responsáveis por grandes incêndios;
5) Manter produtos como álcool de cozinha e fósforos longe do alcance de crianças, em local ventilado e afastado de fontes de calor;

 

Métodos de Transmissão de Calor 

Irradiação: É a transmissão de calor sem meio físico. Exemplo: calor do sol.

Condução ou Contato:É a passagem do calor de molécula para molécula, sendo condição essencial a continuidade de matéria entre a fonte calorífica e o corpo que recebe calor. Exemplo: Os metais, de modo geral são bons condutores de calor. Se uma barra de ferro, for aquecida numa extremidade, dentro de pouco tempo estará aquecida na extremidade oposta.

Convecção: É o método de transmissão de calor característico dos fluídos (líquidos e gases). A porção mais próxima da fonte de calor se aquece mais rapidamente que as demais porções. Esta porção dilata-se e torna-se mais leve, sendo impelida para a superfície, formando uma corrente ascendente. Com isto, as porções superiores mais frias, descem para ocupar o lugar da porção que subiu – corrente descendente , ficando mais próxima da fonte de calor. Forma-se então um ciclo contínuo de correntes de convecção. A convecção é responsável pelo alastramento de muitos incêndios, às vezes a compartimentos bastantes distantes do local de origem do fogo.

 

Processos de Extinção de Incêndio

Sendo o fogo originário da reunião de combustível, oxigênio e calor, para extingui-lo basta que se suprima qualquer um destes elementos.

Retirada de Calor – Resfriamento

Retirada de Oxigênio – Abafamento

Retirada do Combustível – Isolamento

 

Importante

1) Os primeiros instantes de um incêndio são os mais possíveis de obter-se sucesso na extinção;
2) O extintor de incêndio portátil é eficaz apenas para eliminação de princípios de incêndio;
3) O foco de incêndio, uma vez extinto, deve ser monitorado, pois existe o perigo de reignição do fogo;
4) A retirada das pessoas (evacuação do prédio) deve ser feita em ordem, por rotas de fuga pré-determinadas.

 

Classes de Incêndio e Extintores adequados

Classe de incêndio Extintor Adequado   EXTINTORES DE INCÊNDIO
A Madeira, papel, estopas, tecidos etc. ÁGUA
B Gasolina, óleo diesel, álcool etc. PQS CO2
C equipamentos elétricos quando energizados. CO2 PQS
D Metais pirofóricos – magnésio, titânio etc. PÓ QUÍMICO ESPECIAL

 

Extintor de Gás Carbônico – CO2

A utilização do CO2 torna a atmosfera do incêndio pobre em oxigênio, não permitindo a combustão, sendo por conseguinte o fogo extinto pelo método de abafamento e secundariamente, por resfriamento.

 

Extintor a base de pó químico seco – PQS

Quando lançado sobre um líquido inflamado, reage quebrando a reação química do fogo.

 

Extintor de Água

A água atua por resfriamento. Este extintor não é recomendável em incêndios classe B, pois espalha o combustível e não pode ser usado em incêndios classe C, pois a água conduz eletricidade.

 

Manuseio do Extintor:

1) Selecionar o extintor correto;
2) Levar o equipamento até o princípio de incêndio;
3) Retirar o pino de trava da válvula;
4) Acionar a válvula;
5) Direcionar o jato de agente extintor para a base do fogo;
6) Utilizar o extintor sempre na vertical.

 

No princípio de Incêndio:

1) Agir com firmeza e decisão, mas sem se arriscar desnecessariamente;
2) Manter a calma e afastar as pessoas;
3) Desligar os circuitos elétricos envolvidos;
4) Constatar não haver risco de explosão;
5) Utilizar o agente extintor correto.

 

Atenção: A GSHST possui uma programação de treinamentos de prevenção e Combate a Princípios de Incêndio. Maiores Informações: Ramal 9534.

 

Bibliografia:

Normas de Segurança Contra Incêndio – CBMSCNormas Regulamentadoras (CLT – Port. 3214)

Revista CIPA e revista PROTEÇÃO

Apostila do SENAI

Prevenção e Combate a Incêndios – Cel. Antônio M. Silveira